Livros Lidos

Inês - 's bookshelf: read

O Grande Gatsby
Isto Acaba Aqui
A Cabana
Escrito na Água
A Rapariga Que Sonhava com Uma Lata de Gasolina e Um Fósforo
A Rapariga de Antes
O Império dos Homens Bons
Em Parte Incerta
O apelo da selva
Os Homens que Odeiam as Mulheres
Diário de Anne Frank
A Princesa de Gelo
A Quinta dos Animais
Maligna
Como é Linda a Puta da Vida
Um estranho lugar para morrer
A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert
A Rapariga no Comboio
Mulheres, Comida & Deus
A aventura do bolo de natal


Inês - Livros e Papel's favorite books »

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Novidades de Novembro - O Silêncio das Filhas de Jennie Melamed




SINOPSE

Basta uma pergunta inocente.
E nada será igual para estas raparigas.

Vanessa, Amanda, Caitlin e Janey vivem numa ilha. Não sabem em que região do mundo nem em que ano estão, mas aprenderam que a vida lá é uma bênção comparada à das temidas Terras Devastadas — onde reina a doença e a podridão. Aquele era um lugar tão negro que os seus dez antepassados decidiram debandar e fundar uma nova sociedade com novas regras. Neste mundo, as mulheres e as suas filhas levam uma vida austera e controlada pelos patriarcas. O destino não lhes pertence. Apenas no verão, e enquanto crianças, é que elas são livres. Assim que a puberdade desperta, tornam-se esposas em treino nas mãos dos pais, dos maridos e dos seus governantes. Logo que deixam de ser úteis, são imediatamente descartadas, segundo os rituais da ilha.

Todas as mulheres cumprem as regras. Até que um dia, a pequena Caitlin assiste a algo tão chocante que não consegue guardar silêncio sobre o que sente. Ela conta às outras. A palavra espalhase. A redoma quebra-se. E então, uma pergunta paira-lhes na cabeça: será o destino delas assim tão inevitável? Crua, destemida e negra. A história de um culto numa ilha isolada, a que nenhum leitor ficará indiferente. «Uma obra que partilha o mesmo ADN de Nunca me Deixes, de Kazuo Ishiguro, e de The Handmaid's Tale, de Margaret Atwood.» — New York Times Book Review

Novidades de Novembro - Duas Mulheres, Dois Destinos de Lesley Pearse




SINOPSE

Na primavera de 1935, em Londres, duas jovens observam enquanto a polícia retira o cadáver de um homem de um lago. Elas vêm de mundos completamente diferentes. Ruby é filha de uma prostituta alcoólica e só conhece a pobreza e o abandono. Verity, de boas famílias, vive com todo o conforto que o privilégio garante. Mas, nesse dia, começa entre ambas uma amizade que perdurará ao longo do tempo.

O destino, porém, não tardará a mostrar quão traiçoeiro pode ser: ao passo que Ruby encontra, por fim, um lar onde é amada e acarinhada, Verity sofre revés atrás de revés, e um terrível segredo do passado ameaça destruí-la. A Grã-Bretanha prepara-se para a guerra, a conjuntura é turbulenta. Apesar disso, ambas continuam presentes na vida uma da outra… até ao dia em que uma delas profere as palavras: "Morreste para mim".
Num país dilacerado pela guerra, poderá a amizade sobreviver?

Duas Mulheres, Dois Destinos é um romance épico que nos fala de lealdade, amor, e da força dos laços de amizade perante as mais duras adversidades. Como sempre, Lesley Pearse não desilude…

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Opinião - Não Digas Nada, Brad Parks




Este "livrinho" de 520 páginas chamou-me a atenção pela capa e depois de lida a sinopse, fiquei mais do que convencida a lê-lo. E foi uma boa decisão, ADOREI!

É um thriller muito bom, começa com o juiz Scott  receber uma mensagem da mulher a dizer que vai com os filhos gémeos ao médico e por isso não dá para ir à aula de natação com eles.
Quando a mulher Alison chega a casa sem os filhos, Scott percebe logo que alguma coisa não está bem. Recebe então uma chamada anónima a dar instruções sobre o que fazer num caso de tráfico de drogas que está sob a alçada do juiz. Caso não cumpra, os filhos não lhe são entregues. E claro, estão proibidos de falar com a polícia ou qualquer outra pessoa...

Assim começa a acção da história. Ameaças, chantagem, medo, terror, angústia, e muita impotência, é o que estes pais vão sentindo ao logo da narrativa. Mas estes sentimentos também são sentidos pelo leitor.
Scott começa a desconfiar arguidos do caso, dos seus funcionários e até da sua mulher Alison. Tenta com todos os meios que tem descobrir quem possa estar por detrás do rapto de Sam e Emma.

Não Digas Nada é um livro com muita acção e tensão, é viciante deste o início, prende o leitor, sempre a querer saber mais e mais do que aconteceu e das motivações dos raptores. A escrita é simples e fluída, com capítulos curtos que tornam a leitura rápida.

O final é surpreendente por vários motivos que não quero revelar, e, principalmente para quem é mãe/pai, é bastante angustiante.


Classificação: 5/5


SINOPSE
Numa quarta-feira como outra qualquer, o juiz Scott Sampson está a preparar-se para ir buscar os filhos gémeos de seis anos para os levar à aula de natação. A sua mulher, Alison, envia-lhe uma mensagem: mudança de planos, ela tem de os levar ao médico. Assim sendo, Scott regressa para casa mais cedo. Mas quando, mais tarde, Alison chega, está sozinha - sem Sam, sem Emma - e nega ter conhecimento da mensagem...
O telefone toca: uma voz anónima diz-lhes que o juiz deve fazer exactamente o que lhe é dito num caso de tráfico de droga que está prestes a ser julgado. Se recusar, as consequências para as crianças serão terríveis.
Para Scott e Alison, a chamada do sequestrador é apenas o começo de uma tentativa tortuosa de chantagem, engano e terror. Não haverá nada que os detenha para recuperarem os seus filhos, não importa o custo...

Um romance intenso que explora o lado mais obscuro do Mal, pondo a nu as fragilidades da natureza humana perante a ameaça da perda mais dolorosa.
CRÍTICAS DE IMPRENSA
«O excelente thriller de Parks, premiado com o prémio Shamus, retrata de forma credível uma família sob stress severo. Os leitores não conseguirão parar de ler até terem todas as revelações.»
Publishers Weekly

«Alarmantemente plausível e consistentemente admirável.»
Sunday Times - Thriller do Mês

domingo, 19 de novembro de 2017

Novidades de Novembro - A Sede de Jo Nesbø



SINOPSE

Ela marcou um encontro pela Internet. Depois foi encontrada morta, assassinada. Pelas marcas no corpo, a Polícia percebe estar a lidar com um assassino particularmente cruel. Pressionada pela Comunicação Social para encontrar o culpado, a Polícia reconhece que só há um homem indicado para a tarefa. Mas Harry Hole sente relutância em assumir o lugar que lhe roubou quase tudo… até começar a suspeitar que este crime pode estar relacionado com o único caso que nunca conseguiu resolver. Quando uma nova vítima é encontrada, Harry percebe que terá de pôr tudo em causa se quer finalmente encontrar o único assassino que um dia lhe escapou.

sábado, 18 de novembro de 2017

Resultado do Passatempo #1 "Um Mais Um - A Fórmula da Felicidade"




Para começar bem o fim de semana, vou anunciar o vencedor do primeiro passatempo do blogue.


Com 71 participações, a vencedora é 
Vânia Marques, com o n.º 62!




Irá receber o seu prémio na morada indicada no formulário do passatempo.

Obrigada a todos pela participação! Fiquem atentos ao blogue para os próximos passatempos.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Novidades de Novembro - O Silêncio de Fiona Barton



SINOPSE
Quando um parágrafo num jornal revela uma tragédia com décadas, a maioria dos leitores quase nem se apercebe. Mas, para três estranhos, é impossível ignorar...


Numa demolição em curso de uma velha casa de classe média em Londres, um trabalhador descobre um esqueleto minúsculo, que parece estar enterrado há anos. Para a jornalista Kate Waters, é uma história que lhe chama a atenção. Escreve uma notícia para o jornal onde trabalha, mas sente que faltam muitas respostas, e a pergunta que lhe surge é: quem é o bebé sepultado?


À medida que Kate investiga, descobre ligações com um crime que abalou a cidade há anos: um bebé recém-nascido foi raptado da maternidade de um hospital local e nunca foi encontrado. Os pais ficaram devastados pela perda e ausência de respostas.


Mas há muito mais nesta história e Kate investiga a casa e o passado das pessoas que moraram no bairro e que se recusam a falar do grande mistério do rapto da criança.
E Kate depressa se encontra na posse de segredos inesperados que surgem das vidas de três mulheres - e divididos entre o que ela pode e não pode contar...
CRÍTICAS DE IMPRENSA
«Fiona Barton escreveu de novo um livro magistral com O Silêncio,[...] conta a história de uma criança de uma forma única, como só ela consegue, brilhantemente.»

The Star Telegram

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Opinião - Perguntem a Sarah Gross - João Pinto Coelho




Este livro já tinha passado pelos meus olhos e só pela capa achei que devia ser bom, não sei bem explicar porquê. De vez em quando voltava a vê-lo mas também não sei porquê nunca o fui pesquisar.
Só recentemente, quando o autor João Pinto Coelho recebeu o Prémio Leya de 2017 é que fui pesquisar o autor e percebi que este foi a sua primeira obra.
Este livro estava a chamar por mim e eu não percebi...

Mas mais vale tarde que nunca! Este mês o blog Manta de Histórias lançou o desafio de lermos, pelo menos, um autor português por mês, ao qual aderi, e pareceu-me o livro ideal. Fui buscá-lo à biblioteca municipal.

O livro fala-nos do Holocausto, Auschwitz, de pessoas que estiveram lá, como foi antes, durante e principalmente depois, como se vive ou sobrevive a um acontecimento como este. Fala, não é sobre o Holocausto mas claro que ele está presente em toda a história.
Também fala de segregação racial e racismo, de violência sexual.

O que posso dizer do livro? Adorei! Porquê? Porque combina factos reais (dos quais não nos podemos esquecer) com ficção; porque é narrado em várias épocas no tempo e no espaço; porque as personagens são muito interessantes; porque me prendeu desde o início; porque fiquei com uma vontade louca de saber quem foi Sarah Gross, o que aconteceu a Kimberly; porque tem uma escrita simples com boas descrições na quantidade certa; porque chorei; porque me senti revoltada e angustiada; porque me senti agradecida pela vida que tenho e nunca ter passado por nada sequer parecido; porque aprendi, porque enriqueci.

Só não entendi o título de livro...


Classificação: 5/5


SINOPSE
Em 1968, Kimberly Parker, uma jovem professora de Literatura, atravessa os Estados Unidos para ir ensinar no colégio mais elitista da Nova Inglaterra, dirigido por uma mulher carismática e misteriosa chamada Sarah Gross. Foge de um segredo terrível e procura em St. Oswald’s a paz possível com a companhia da exuberante Miranda, o encanto e a sensibilidade de Clement e sobretudo a cumplicidade de Sarah. Mas a verdade persegue Kimberly até ali e, no dia em que toma a decisão que a poderia salvar, uma tragédia abala inesperadamente a instituição centenária, abrindo as portas a um passado avassalador. 
Nos corredores da universidade ou no apertado gueto de Cracóvia; à sombra dos choupos de Birkenau ou pelas ruas de Auschwitz quando ainda era uma cidade feliz, Kimberly mergulha numa história brutal de dor e sobrevivência para a qual ninguém a preparou.
Rigoroso, imaginativo e profundamente cinematográfico, com diálogos magistrais e personagens inesquecíveis, Perguntem a Sarah Gross é um romance trepidante que nos dá a conhecer a cidade que se tornou o mais famoso campo de extermínio da História. A obra foi finalista do prémio LeYa em 2014.